Oleo de Melaleuca

O nome é esquisito e suas benfeitorias não são poucas, por isso, não é surpresa que em pouco tempo oleo de melaleuca se torne uma das coqueluches dos produtos alternativos. Ainda que venha de tão longe.

Originária da Austrália, onde é conhecido como “árvore-do-chá”, ainda que não tenha nenhuma relação com chá de verdade, a melaleuca, além de ter um cheiro característico e que lembra o da noz-moscada, é um antisséptico poderoso e que já vem sendo usado há muito tempo.

Na verdade, não só há muito tempo, como em situações chaves, como quando acompanhou o colonizador inglês Capitão Cook (primeiro inglês a ter contato com a costa australiana) em suas aventuras e, muito tempo depois, ser parte do kit de primeiros socorros dos soldados australianos durante a 2° Guerra Mundial, usando-o principalmente como desinfetante.

Sementes para Oleo de Melaleuca

Para que serve o Oleo de Melaleuca ?

E é essa versatilidade que lhe faz ser tão importante e fácil de ser usado em termos medicinais. Além de antisséptico ainda é usado largamente por uma série de empresas farmacêuticas e cosméticas.

Entre a capacidade antibacteriana e antifúngica, o óleo ainda serve para criar cremes ótimos para mãos e corpos, e nesse caso sendo ótimo para combater acne e controlar a oleosidade da pele.

São mais de 40 componentes presentes nele e que já foram confirmados como desde adstringente até sendo ótimo para dores de garganta, tosse e bronquite. Isso, além de acabar com micoses, picadas de inseto, queimaduras, brotoejas, herpes, dermatites e verrugas. E nesses casos dermatológicos todos sendo sem restrições e com a aplicação direta do produto.

Oleo de Melaleuca para Espinhas

Por fim, além de ser usado na fórmula de shampoos contra caspa e seborreia, ainda vem sendo pesquisado na indústria odontológico, já que seus princípios desinfetantes podem ajudar no combate a caries. Mas nesse caso não adianta ir bochechando com o óleo, já que toda essa pesquisa ainda está engatinhando.

A única preocupação, lógico, é procurar saber se você não te alergia ou hipersensibilidade ao produto, e uma ida a um dermatologista, onde se pode fazer um teste, é o único modo de ter certeza sem perigo algum.

E voltando àquele cheiro adocicado e difícil de esquecer, quem não se esquece da melaleuca é a aromaterapia, já que, misturada com lavanda é usada por seu poder antibacteriano.