Oleo de Girassol

Não há pessoa no mundo que não conheça aquela enorme flor amarela que procura o sol (por isso gira+sol), mas também, a grande maioria nem deve desconfiar que ela seja considerada por muitos como um enorme fonte de benfeitorias para o ser-humano. Principalmente o óleo extraído do girassol.

O problema dele é que, como quase todos componentes naturais, a grande maioria de seus “milagres” acabam sendo contestados por pesquisas científicas, assim como sua eficácia nesse ou naquele campo, nunca acaba sendo inquestionável. Mas nem por isso é difícil encontrar uma série de afirmações que empolgam até o mais pessimista.

Oleo de girassol

Portanto, o óleo de semente de girassol é sim uma das novidades do momento (ainda que esse “momento” nem seja tão recente assim) e promete ainda ser muito falado.

Terapia do Girassol

Para começo de conversa, você também pode não saber, mas os maiores produtores de girassol do mundo estão na Ucrânia e na Rússia, e é desse segundo lugar que, em 1991, um bacteriologista chamado Dr. Karach parece ter encontrado a cura para todas as doenças do mundo. Bom, pelo menos para ele.

E sim ele estava falando de óleo de girassol, na verdade de uma terapia simples e que envolvia apenas uma colher de chá do produto. Bastava bochechar ela em jejum durante uma média de 15 a 20 minutos todos os dias. Era importante também que não se engolisse esse conteúdo de modo algum. De acordo com ele, o liquido cuspido ainda iria mudando de cor no passar dos dias, de um branco leitoso até o transparente.

A grande jogada era que fazendo apenas isso a promessa era de agir de forma preventiva em problemas relacionados a células, tecidos e órgãos. Em resumo: tudo.

Colher com Oleo de girassol

O Russo ainda afirmava que esse “tratamento” impedia o desenvolvimento de dor de cabeça, dente e até bronquite, passando por problemas relacionados a tromboses, problemas cardíacos, intestinais, renais e até encefálicos. Tudo mesmo.

O interessante é que, talvez, o Dr. Karach não estivesse tão errado assim.

Óleo de girassol emagrece!

Antes de qualquer coisa é bom lembrar que se você já se pegou usando o óleo de girassol em sua cozinha, não está sozinho, já que, aparentemente (assim como no rótulo) ele aponta ter muito mais vitamina E e ainda pouca gordura saturada. O que em outras palavras o tornaria mais saudável.

O problema é que, quase na mesma linha do “bochecho russo”, o óleo só deve ser usado em seu estado natural, nunca aquecido, pois nesse caso, essa mudança de temperatura causaria o surgimento de células que poderiam causar câncer. E, mesmo sendo em prazo longo e parecendo uma afirmação até perigosa de ser feita, não é difícil encontrar nutricionistas e especialistas que tem certeza disso.

Para esses, o jeito correto de ser usar o óleo é com duas colheres de sopa sobre o alimento depois dele pronto, como um azeite. A explicação é que o óleo de girassol é rico em ómega 9, que é uma gordura boa, previne o colesterol ruim e, ainda por cima, evita acúmulo de gordura no abdômen. A promessa (logicamente que com uma dieta acompanhando) é de uma média de até 3kg a menos por semana.

É importante ainda salientar que em alguns casos ele nem precisa ser ingerido nessa forma líquida, já que a opção de pílulas e até uma farinha também funcionam. E nesse caso (de simplesmente consumir por consumir, sem esperar qualquer milagre) os resultados podem até serem óbvios, já que a semente é rica em fibras, o que diminui a velocidade de digestão, faz com que você tenha menos fome entre as refeições e ainda ajude na fora de defecar. Três fatores que, sem sombra de dúvidas, emagrecem.

Oleo de girassol

Óleo de Girassol para a pele

Mas, como era de se esperar, não faltam pesquisas e afirmações que apontam que o óleo não emagrece. E até uma linha de pensamentos que sustenta que ele pode não fazer ninguém perder peso, mas, em compensação, deixa todo mundo muito mais feliz, já que, aparentemente, aumenta o nível de serotonina de quem estiver tomando-o. E mesmo que até isso possa ser contradito, existe sim algo em que ele é indiscutivelmente bom: cicatrização.

E quando se diz “cicatrização” se fala no sentido mais amplo da palavra, já que não só já foi provada sua eficácia científica em camundongos, como já é usado por muita gente que garante seu sucesso.

Continuando na pesquisa com os ratinhos, a ideia é que, quando aprovado em seres-humanos ele agilize a cicatrização, principalmente de diabéticos. Tanto no dia-a-dia quanto em pós operatórios.

Mas também já há que use o óleo de girassol para fins semelhantes e só tenha elogios, ainda mais por se tratar de uma situação tão sensível. Nesse caso sendo popular entre amputados em fase de protetização, já que a substância acaba, tanto serve como proteção e prevenção como na própria cicatrização de irritações, feridas e bolhas causadas pelo contato da pele (ainda sensível) com o material da prótese.

Nesse caso, a indicação é apenas a de massagear o local ferido com o óleo, antes de colocar a prótese. E em caso de machucado, repetir o ato depois de retirar. Uma possibilidade muito mais plausível do que bochechar o óleo por meia hora e acabar com todos os seus problemas.